Novo Ka será lançado logo após a Copa

14 04 2014

fordkahotsite_01_290_193

Ford equipará seu novo popular com inédito motor 1.0 de 3 cilindros, ‘o mais potente do mercado’

A Ford vai aguardar o final da Copa do Mundo no Brasil, em julho, para lançar o novo Ka, seu futuro modelo de entrada no mercado. E, para ganhar tempo, colocará à venda tanto a versão hatch quando a sedã.

Nela será feito um inédito motor 1.0 de 3 cilindros e duplo comando de válvulas. Com 85 cv de potência (etanol) e 80 cv (gasolina) ele será o propulsor mais potente do gênero, batendo assim o rival da Volkswagen que equipa o up!.

Segundo um executivo da montadora, o Ka hatch chegará ao mercado apenas com esse motor, que é derivado do 1.0 Ecoboost vendido no exterior. A diferença é que o motor brasileiro não terá turbo: “equipá-lo com esse recurso o tornaria 4 a 5 mil reais mais caro”, explicou.

A versão sedã terá também outro motor mais forte, o que é comum nesse segmento devido à exigência de levar mais passageiros. Mas a Ford faz mistério a respeito. Há o 1.5 Sigma, produzido em Taubaté e equipa o irmão maior New Fiesta, mas pode ser um novo propulsor intermediário.

A fábrica de motores de Camaçari tem capacidade para produzir 210 mil unidades por ano num espaço moderno que conta até com ar-condicionado na linha de montagem: “é para manter o padrão de construção desse motor, que é mais avançado que os demais”.

Com 200 mil veículos a mais, a Ford pode, enfim, encostar nas rivais GM, Volkswagen e Fiat, um sonho acalentado desde o final da Autolatina, na década de 1990. Desde então, a montadora americana renasceu no Brasil, mas nunca saiu da 4ª posição no ranking.





FIAT PALIO 2015 PARTE DE R$ 33.520

9 04 2014

palio_sporting_045

O Fiat Palio 2015 chega às concessionárias neste mês. Sem qualquer grande alteração no visual, o hatch estreia com preço inicial de R$ 33.520. A cifra corresponde a um aumento de R$ 860 frente à versão anterior.

A maior novidade fica por conta da adição de de vidros dianteiros e travas elétricas na versão de entrada Attractive, equipada com motor 1.0 de 75 cv de potência. O modelo ganha também chave canivete com telecomando, novo acionamento para abertura do porta-malas e alarme antifurto. Numa tentativa de dar mais requinte ao hatch, os comandos de climatização ganharam anéis cromados.

A lista de opcionais foi incrementada com Tilt Down. Trata-se de um sistema que inclina para baixo o espelho retrovisor do lado passageiro quando o motorista engata a marcha ré. A intenção é que o condutor tenha melhor visualização na hora de manobrar o carro. O item está disponível apenas para as configurações com retrovisor elétrico.

Confira todos os preços do Fiat Palio 2015:

Novo Palio Attractive 1.0: R$ 33.520.
Novo Palio Attractive 1.4: R$ 37.030.
Novo Palio Essence 1.6: R$ 41.010.
Novo Palio Sporting 1.6: R$ 43.030.





Corolla 2014 tem descontos de até R$ 7mil

8 03 2014

toyota_corolla_2014_versao_altis

As raras unidades restantes do Toyota Corolla 2014 são oferecidas pelas revendas da capital paulista com descontos que beiram os R$ 7 mil. No entanto, boa parte das lojas nem possui o carro em estoque, já que a chegada da versão 2015 está prevista para a próxima semana.

A única versão do Corolla 2014 que ainda é comercializada é a XEi, equipada com motor 2.0 de 153 cv de potência e 20,7 kgfm de torque, acoplado a um câmbio automático de quatro velocidades com aletas para troca de marchas no volante. Tabelado em R$ 77.200, as últimas unidades do carro podem ser levadas para casa por até R$ 70 mil.

Novo Corolla
o Corolla 2015 chegará às revendas por valores que variam de R$ 68 mil a R$ 94 mil. A versão GLi será equipada com o mesmo motor 1.8 usado atualmente, mas ele passará a entregar mais potência depois de modificações, além de contar com duplo comando variável de válvulas. A versão com câmbio manual de seis velocidades será oferecida por cerca de R$ 68 mil. Quem topar pagar um pouco a mais poderá levar o mesmo GLi equipado com o câmbio automático do tipo CVT Multidrive de 7 velocidades por R$ 71 mil. A configuração de entrada terá bancos com revestimento em tecido e cinco airbags (frontais, laterais dianteiros e para os joelhos do motorista), além de freios ABS com EBD.

O motor 2.0 do GLi também permanecerá o mesmo, igualmente modificado. A versão intermediária será oferecida somente com câmbio Multidrive de sete velocidades, que passará a contar com opção de troca de marchas no volante e modo esportivo. O revestimento interno será em couro cinza e os passageiros também contarão com cinco airbags. Essa configuração sairá das lojas por R$ 81 mil.

Já o modelo topo de linha, chamado de Altis, levará o mesmo motor 2.0 da versão intermediária, mas contará com diferenciais de acabamento, segurança e conforto. Os bancos serão revestidos em couro bege, o farol contará com lâmpadas de LED e a partida será feita por um botão. Além da segurança de sete bolsas de airbag (dianteiras, laterais, de joelhos e de cortina), a versão é a única que contará com controle eletrônico de estabilidade. Além disso, essa configuração do Corolla contará com sistema multimídia que inclui rádio, leitor de CD, DVD, navegação por GPS, câmera de ré e TV digital. Para levá-la para casa, porém, será necessário desembolsar salgados R$ 94 mil.





Novo Corolla 2015 será lançado em março

20 02 2014

toyota-corolla-euro-001000_290_193

O novo Corolla 2015 já tem data para chegar ao Brasil. O sedã da Toyota será apresentado à imprensa nos dias 11 e 12 de março em Campinas, SP. O modelo promete agitar o segmento e causar certa polêmica. O motivo é que a marca japonesa decidiu ousar no visual e deixá-lo mais esportivo e chamativo.

Essa nunca foi uma característica do modelo, conhecido pela suavidade e conforto. As linhas do Corolla brasileiro são as mesmas do europeu, que é mais requintado. Nos Estados Unidos, a Toyota decidiu ir mais longe e desenhou um carro com estilo despojado e ao mesmo tempo agressivo. E há chance dessa versão também desembarcar no Brasil. A fabricante estuda vender aqui um modelo esportivo com o sobrenome “Furia”, que foi usado no conceito mostrado em 2013.

Quanto ao Corolla “normal”, a maior novidade, além do visual, é a transmissão CVT, que substitui o antigo câmbio automático de 4 marchas atual. Apesar de ter marchas infinitas, o CVT oferecerá 7 velocidades pré-programadas, para facilitar seu manuseio. A rival Nissan usa o mesmo tipo de câmbio no Sentra, por exemplo. Já o Corolla manual passa a ter 6 marchas.

O estilo do novo Corolla se destaca pela grade cromada que se une aos faróis, que possuem luzes de LEDs. Outra característica marcante é o vidro da porta traseira, que termina numa espécie de flecha.

A Toyota aumentou o tamanho do Corolla na nova geração. O sedã agora tem 10 cm a mais de entre-eixos, o que beneficia o espaço interno sobretudo no banco traseiro. Ele é um pouco mais largo e mais baixo que o modelo vendido hoje no Brasil.

O interior do veículo ganhou mais equipamentos, mas tem desenho convencional, que lembra o do novo RAV4. Resta saber se a Toyota mudará esse aspecto na versão nacional – é comum modelos assim serem alterados para o “paladar” do brasileiro. Mas é certo que o Corolla terá todos os itens desejados pelo consumidor como central multimídia, câmera de estacionamento, ar-condicionado digital de duas zonas e outros.

Revezamento na liderança
Desde o lançamento do Corolla “Brad Pitt” (astro dos comerciais do carro), em 2002, a Toyota e a Honda se revezam na liderança entre os sedãs médios. A Honda tirou o primeiro lugar do Corolla em 2007 com o “New Civic” e a Toyota recuperou a posição em 2010 para perde-la no ano passado novamente. Se a tradição for mantida, o Corolla voltará ao primeiro posto até o final do ano. Ao menos na teoria.





Volkswagen pode ressuscitar o Gol GT

22 01 2014

vw-gol-gt-proj01_290_193

Os primeiros anos de vida do Gol não se parecem em nada com os atuais em que o carro da Volkswagen lidera com tranquilidade o ranking de vendas no Brasil. Quando surgiu, em 1980, o hatch parecia mais um tremendo erro de marketing, tamanho foram os problemas do modelo.

Tudo começou a mudar em 1984 quando a Volks corrigiu alguns defeitos de nascença do modelo e soube criar uma versão que mudou sua imagem, a GT. Com motor 1.8 litro refrigerado a água de 99 cv na teoria pois na prática passava disso – Culpa de impostos acima de 100cv), o hatch com pinta de esportivo agradava não só no visual agressivo como também nos arroubos de performance para a época. Era o início da era de ouro da mecânica da VW em que o motor AP e o câmbio de trocas curtas e precisas viraram referência no mercado, claro que infladas pelo fato de o Brasil ser um país fechado para modelos importados.

Pois é esse Gol GT que a Volkswagen pode ressuscitar em 2014, para comemorar os 30 anos do modelo. A montadora alemã já registrou a marca “Gol GT” no INPI e pode usá-lo como uma série especial equipada com o novo motor 1.6 de 16V que estreará este ano em alguns carros da linha. O propulsor, com 120 cv, pode dar ao modelo a esportividade necessária para justificar sua volta. (Dizem eles, mas para mim 120cv é pouco para ter um logo “GT” na mala )





Volkswagen mostra o Fusca aventureiro

13 01 2014

beetle_dune_concept_01_290_193

O novo Fusca não escapou de receber uma versão aventureira. Com suspensão elevada e motorização de 210 cv, a Volkswagen mostrou oficialmente nesta segunda-feira (13) o conceito Beetle Dune. A apresentação ocorreu durante o primeiro dia do Salão de Detroit, evento que ocorre esta semana nos Estados Unidos.

Quando comparado ao novo Fusca, o Beetle Dune traz diversas modificações relevantes, resultando em uma aparência que lembra um buggy futurista. Para-choques redesenhados, duplo aerofólio traseiro e novos faróis auxiliares ajudam a compor o visual arrojado.

Mas as mudanças em relação ao modelo que conhecemos vão longe e incluem teto panorâmico, nova grade frontal, capô com vincos e saídas de ar e rodas maiores com pneus para uso misto, que pediram por uma caixa de rodas mais ampla. Ou seja, a Volkswagen mexeu em praticamente tudo do carro na hora de fazer o conceito.

Por dentro, o novo Beetle Dune traz diversos detalhes amarelos, bancos em dois tons, novo porta-luvas, logotipo Dune nas portas e no painel. O propulsor utilizado pelo conceito é o mesmo 2.0 turbo utilizado pelo modelo de produção, acoplado também a uma transmissão de seis marchas e dupla embreagem – o conceito não faz uso de tração 4×4.

O Beetle Dune é uma releitura do protótipo mostrado pela primeira vez há 14 anos no Salão de Los Angeles. Mas, ao contrário do conceito anterior que nunca chegou a ser comercializado em série, o novo Dune tem chances reais de vir a ser fabricado. Caso este cenário se torne realidade, o que os fãs do Fusca provavelmente vão torcer para acontecer, a produção deverá ocorrer em meados de 2015.





Renault mostra, enfim, sua versão do novo Duster

28 11 2013

Renault_52162_global_en_290_193

SUV muda bem pouco em relação ao já apresentado perla romena Dacia; para o Brasil atualização deve chegar em 2015

O Duster, jipinho da Renault estreou no Brasil em 2011 e teve uma aceitação tão boa que nem mesmo a montadora previa. A marca francesa, todavia, acaba de apresentar na Europa a versão atualizada do crossover derivado da família Logan, que ganhou melhorias por dentro e por fora e aumentou a lista de equipamentos.

As principais mudanças do SUV concentram-se na dianteira, que recebeu grade em estilo colmeia com duas barras cromadas e faróis duplos redesenhados com luzes diurnas de LEDs. Os faróis foram inspirados no conceito DCross, apresentado no último salão de Salão do Automóvel de São Paulo, em 2012, já a grade é o principal ponto que o diferencia da versão apresentada pela Dacia (divisão romena da Renault) no ultimo Salão de Frankfurt.

A parte traseira apresenta mudanças mais sutis como detalhes cromados no escape e lanternas redesenhadas. Para compor o visual de utilitário esportivo, o modelo adotou um rack mais robusto no teto – que leva o nome do carro -, novas rodas de liga leve de 16 polegadas e pneus mistos. Já o interior parece um pouco mais caprichado, com o painel de instrumentos em três nichos (para conta-giros, velocímetro e computador de bordo), assentos e forros de porta reestilizados. O volante tem o mesmo design da versão que é vendida por aqui atualmente, mas ganhou comandos do radio. Em suma, o conjunto ficou visualmente bem mais agradável.

De acordo com a marca, embora o modelo mantenha as proporções originais, a vida a bordo está mais confortável. O porta-malas manteve a capacidade de 475 litros (1.636 litros com o banco traseiro rebatido). O fabricante ainda afirma que a acústica foi melhorada, eliminando boa parte dos ruídos na cabine.

Quanto aos equipamentos, agora o modelo conta com quatro airbags, há controlador de cruzeiro com limitador de velocidade, assistente de estacionamento e a nova central multimídia Media Nav, grande parte desses itens opcionais.

Quanto às motorizações, na Europa, o novo Duster foi equipado com um motor 1.6 16V de 105 cv a gasolina, equipado com transmissão de manual de seis velocidade para a versão 4×4 e manual de cinco velocidades para a versão 4×2. Além disso, há duas opções a diesel.

E no Brasil?

Por aqui, o Duster vende bem, especialmente por conta do conjunto: preço + porte avantajado. Por isso, a marca francesa acredita que não seja hora do jipinho receber qualquer modificação no País, o que deve ficar apenas para 2015 (diferentemente de seu irmão Sandero, que terá uma nova geração no Brasil já em 2014).

O SUV é fabricado no Brasil desde outubro de 2011 e abastece o mercado nacional e argentino – os demais mercados da América Latina são de responsabilidade da planta da Colômbia. Por aqui, o novo Duster deve ser equipado com motor bicombustível, seguindo a linha das versões atuais. No entanto, a marca afirma que outras especificações do modelo que será vendido no Brasil ainda estão sendo desenvolvidas pelo centro Renault de design e tecnologia da América Latina. Vamos esperar para ver o que virá por aí





Veja o inédito Ford Ka Concept em primeira mão

13 11 2013

ford-ka-concept-01_290_193

A festa para o Ka Concept, nome do novo compacto global da Ford, está marcada para esta quarta-feira, na fábrica de Camaçari, na Bahia.

Imagens do novo hatch mostram que o modelo terá linhas discretas, mas com detalhes que remetem aos outros modelos da marca, como a grade frontal e as lanternas, que invadem as laterais do veículo.

A Ford está repetindo a estratégia adotada em janeiro do ano passado, quando mostrou o novo EcoSport. Na época, o SUV foi apresentado como protótipo, mas era praticamente o modelo de produção.

Resta esperar pra ver ;)





Novo Logan custará quase o mesmo que o antigo

8 11 2013

logan-aut-2014-01_290_193

Preços das quatro versões vão de R$ 28.990 a R$ 42.100. Modelo chega esta semana às concessionárias

A Renault decidiu manter praticamente o mesmo portfólio de versões do Logan na nova geração, que acaba de ser apresentado nesta segunda-feira, 04, em São Paulo. O sedã da categoria compacta, mas que se destaca pelo generoso espaço interno, manteve essas virtudes, porém, está mais agradável e com linhas mais proporcionais.

A marca francesa também melhorou sensivelmente o acabamento e introduziu itens hoje requisitados pelos clientes como central multimídia, piloto automático e ar digital. Porém, esses confortos só são disponíveis como opcionais nas versões mais caras.

Por outro lado, o Logan continua brigando no andar de baixo do segmento com a versão Authentique 1.0 (80hp), mas que agora está três cavalos mais potente. Ela passa a conta com rodas aro 15 (ante aro 14), traz airbag duplo e ABS (por obrigação da lei) e ar-condicionado e direção hidráulica como opcional, o que não era possível na geração anterior. Seu preço é de R$ 28.990, mil reais a mais que a antiga Authentique.

As versões que devem responder por metade das vendas são a Expression 1.0 e 1.6. As duas oferecem de série rádio com MP3, computador de bordo, vidros dianteiros elétricos, direção hidráulica e ar-condicionado, no caso da versão mais potente. Os preços são de R$ 33.990 (1.0) e R$ 39.440 (1.6). Como houve incremento de itens em relação ao sedã anterior, a Renault subiu os valores em R$ 3 mil e R$ 1.950, respectivamente.

A versão top agora passa a ser a Dynamique, com preço de R$ 42.100, praticamente o mesmo da Expression 1.6 16V do primeiro Logan. As diferenças começam com o motor, que agora é o mais fraco 1.6 8V, e com a transmissão, que é manual (no Expression era automática). A montadora, aliás, suprimiu o item no novo Logan, ainda não se sabe se de forma definitiva.

Novidades ficaram como opcionais
O Dynamique mira os clientes de sedãs mais caprichados como o Prisma, o HB20S e o Grand Siena. O pacote de série inclui piloto automático, inédito no modelo, luz indicadora de direção nos retrovisores, faróis de neblina e rodas de liga aro 15. No entanto, novidades como a central multimídia “NAV 1.2”, o sensor de estacionamento e o ar-condicionado automático são opcionais cujos preços não foram informados, mas que, estima-se, farão o Logan completo custar praticamente R$ 50 mil.

Apesar da profunda mudança por que passou, o Logan deve vender em torno de 3,5 mil unidades por mês, volume modesto para o segmento e mesmo se comparado ao irmão Sandero, que emplaca quase 10 mil carros mensalmente. A Renault manteve a garantia de 3 anos, que foi a novidade na época do primeiro lançamento em 2007. O modelo chega às concessionárias nesta semana. Confira avaliação do Logan 2014 nos próximos dias.





Novo Golf vai custar R$ 70 mil no Brasil

7 09 2013

new_vw_golf_vii_paris_002_290_193.

Sétima geração do hatch médio da VW chega ao Brasil em outubro com status de opção mais moderna da categoria; versão esportiva GTI vai custar R$ 100 mil

A tão esperada sétima geração do Volkswagen Golf está chegando ao Brasil para substituir a linha atual, parada na quarta geração. O hatch médio já é capa das principais revistas de automóveis do Brasil, que anunciam sua para outubro com preços começando na casa dos R$ 70 mil na versão de entrada Highline com câmbio manual. Não só isso, a VW também vai trazer a série esportiva GTI por cerca de R$ 100 mil.

O Golf VII, pelo que trará de série, chegará ao mercado como o produto mais avançado do segmento em praticamente todas as frentes.

As versões “comportadas” do novo Golf vêm equipadas com o “motorzinho” 1.4 TSI. Mas não se engane pelo tamanho, esse motor conta com sistema de injeção direta de gasolina e turbo. Com esses recursos ele gera 140 cv e 25,5 kgfm de torque máxima, números compatíveis ou até superiores ao de concorrentes com motor 2.0 aspirado.

Esse motor poderá ser associado a um câmbio manual de 6 marchas ou então com transmissão semi-automática DSG de 7 marchas e dupla embreagem, que é considerado uma das melhores caixas de marcha da atualidade.

Segundo dados da VW da Alemanha, o Golf VII com motor 1.4 TSI acelera do 0 até os 100 km/h em 8,5 segundos e pode atingir 212 km/h de velocidade máxima. Mas o número que mais chama a atenção é o de consumo de combustível: a marca divulga que o modelo roda em média 21,2 km por litro de gasolina consumido. Tal desempenho é comparável ao de um automóvel nacional compacto com motor 1.0.

Já o novo Golf GTI vem com motor 2.0 TSI (também turbo e com sistema de injeção especial) de 220 cv e 36 kgfm de torque máximo. O câmbio é DSG de 7 marchas. De acordo com a marca, o modelo nessa configuração cumpre o 0 a 100 km/h em 6,4 s e alcança 250 km/h de velocidade máxima (Limitados eletronicamente).

A primeira fase de vendas do modelo no Brasil será com unidades fabricadas em Wolfsburg, na Alemanha. Por conta dessa logística e também por limitações de cotas de importação do Inovar Auto, o volume do carro destinado ao Brasil deverá ser apenas modesto. Essa situação aliada ao fator novidade do produto certamente vão gerar grandes filas de espera pelo Golf VII quando ele desembarcar no País.

Em um segundo momento, é esperado que o modelo seja nacionalizado, o que poderá diminuir o tempo de espera pelo carro. A fábrica da VW em São José dos Pinhais (PR), que produz o Golf nacional atual, é a mais cotada para receber a linha de montagem do Golf VII. Essa mesma unidade também é a preferida para abrigar novamente a produção do Audi A3, desta vez na terceira geração – a planta da Volks no PR produziu o primeiro A3 entre 1999 e 2006.





Chevrolet mostra o Agile 2014 na Argentina

17 08 2013

agile

A Chevrolet apresentou a linha 2014 do Agile na Argentina. Sem mudanças mecânicas, o hatch surgiu com a frente remodelada. As diferenças concentram-se principalmente nos faróis e na grade frontal. Por lá, o modelo chegará com preço inicial de R$ 37.600. No Brasil, o carro parte de R$ 37.020.

Entre os equipamentos, o destaque é a adoção do volante multifuncional, oferecido como item de série na versão topo de linha LTZ. Esta configuração acrescenta também rodas de liga leve de 16 polegadas. Sob o capô, a versão argentina traz um bloco 1.4 de 92 cv de potência.

No Brasil
Ofuscado pela chegada do irmão menor Onix, o Agile deverá ser reestilizado por aqui em breve. A intenção, segundo fontes da GM, é dar uma sobrevida de dois anos ao modelo. A picape Montana, única derivação desta velha plataforma do Agile, deverá acompanhar a mudança em seguida. Não estão previstas alterações mecânicas aqui no Brasil.





Flagra: vazam fotos do novo MINI Cooper

4 07 2013

novominicooper_01_290_193

Para delírio dos fãs da marca, a MINI deixou escapar fotos da nova versão do modelo Cooper rodando sem disfarces. O flagra foi feito pelo site Carpix durante uma sessão de fotos oficial do veículo.

A MINI não ousou muito no desenho do novo projeto, ao menos no exterior. O carro teve sua frente alongada e a grade frontal agora está mais larga. As saídas de ar lateral estão mais cavadas e aparentemente o bocal de combustível mudou de lado (não temos certeza já que a foto pode ter sido invertida). Nota-se ainda luzes diurnas de LEDs em forma de anéis na dianteira e dois pequenos vãos no aerofólio traseiro.

Apesar das sutis mudanças no exterior, o novo MINI é outro carro. O modelo é o primeiro veículo a ser montado sobre a nova plataforma do grupo BMW, a UKL1. Esta plataforma serve para carros com tração dianteira é uma peça chave para a companhia alemã. Ao menos 20 modelos da BMW e MINI deverão ser construídos sobre essa base nos próximos anos.

Segundo o site inglês Auto Express, o novo MINI Cooper está previsto para chegar ao mercado europeu com um inédito motor 1.5 litro de três cilindros a gasolina – a versão 1.6 turbo deve continuar a ser oferecida nas versões mais potentes, como a esportiva S.

O novo MINI já tem estreia marcada. Será no Salão de Los Angeles, evento que acontecerá em novembro deste ano no Estados Unidos. Já o início das vendas é esperado para 2014, primeiramente na Europa e EUA. Para o Brasil, a expectativa é de que o compacto desembarque em meados de 2015.





Fox BlueMotion 1.0 mira no bolso do cliente

27 06 2013

fox

Modelo, que estreia o moderno e econômico motor três cilindros da Volkswagen, chega a partir de R$ 32.590

Vale a pena pagar R$ 750 a mais por um cilindro a menos sob o capô? Ao que tudo indica, sim. E essa é a aposta da Volkswagen e sua estratégia para ganhar a clientela com o Fox BlueMotion 2014, que estreia o novo motor 1.0 de três cilindros, o mais potente motor de um litro do Brasil, segundo a marca alemã.

O modelo chega às lojas na primeira semana de julho na versão 2 portas partindo de R$ 32.590 e na versão 4 portas começando em R$ 34.090 – em ambos os casos, a diferença é de R$ 750 para o Fox 1.0 com motor convencional de quatro cilindros, que continua a ser oferecido no mercado.

Mais potência e menor gasto de combustível
O novo motor é produzido em São Carlos, interior de São Paulo, e pertence à família EA211. Para sua preparação, a equipe de engenharia da marca alemã trabalhou três principais pontos: redução de peso, menor consumo de combustível e melhor performance. Segundo a Volks, durante o desenvolvimento do novo coração do Fox BlueMotion, 2,4 milhões de quilômetros foram percorridos em testes de rodagem, inclusive sob temperaturas abaixo de -15˚.

Com tecnologia bicombustível, o motor rende 75 cavalos de potência quando abastecido com gasolina e 82 cv com álcool, já o torque é de 9,7 kgfm e 10,4 kgfm, respectivamente. Segundo a marca, a aceleração de 0 a 100 km/h é feita em 13,5 segundos, enquanto a velocidade máxima fica em 166 km/h.

O bloco e cabeçote em alumínio, além da otimização na construção de peças que compõe o propulsor, o fizeram emagrecer 24 kg. Os cilindros agora têm maior diâmetro, o que permite melhor enchimento da câmara de combustão e consequentemente melhor aproveitamento do combustível. A termodinâmica é melhorada também graças ao comando de válvulas variável na admissão, são 12 válvulas (4 por cilindro).

O coletor de escape passou a ser integrado ao motor em uma peça única, com refrigeração líquida. Este sistema faz com que o motor atinja sua temperatura ideal de funcionamento mais rapidamente. Outra inovação é o duplo circuito de arrefecimento, que permite que bloco e cabeçote trabalhem em temperaturas diferentes. Tudo pensado para aumentar o desempenho e reduzir o consumo e a emissão de poluentes. (Nossa O.o)

O EA211 é o primeiro motor brasileiro nesta faixa de cilindradada e dispensar o tanquinho de combustível para partidas a frio. O sistema utilizado pela Volks chama-se E-Flex, aplicado pela primeira vez na linha com o Polo em 2009.

Economia de combustível em primeiro lugar
Não é apenas no motor que a Volks quer garantir a economia de combustível, modificações mecânicas e estéticas também dão uma mãozinha. Entre as alterações está a nova direção com assistência eletro-hidráulica (antes era só hidráulica) que reduz o consumo energético em 3%, diz a VW. Já a transmissão manual de 5 velocidades teve a relação de marchas alongada em até 10%, forçando o motor a trabalhar em rotações mais baixas.

Para melhorar a aerodinâmica, a grade frontal ficou com uma abertura bem estreita e as calotas foram redesenhadas. Os pneus “verdes” de baixa resistência ao rolamento (175/70 R14) que já eram utilizados nas versões BlueMotion, permanecem.

Volta rápida
Quem já dirigiu modelos equipados com motor de três cilindros reconhece o ruído inconfundível – alguns dizem que se assemelha a um cortador de grama. No entanto, a Volks trabalhou direitinho para que o barulho característico não fosse um agravante no Fox BlueMotion. Além da boa acústica na cabine, há maiores silenciadores no sistema de escape e até mesmo o filtro de ar possui ressonadores para diminuir os ruídos.

Convenceu?





2º Geração do Porsche Cayman chega ao Brasil em abril

16 03 2013

Porsche-Cayman_2014_04_290_193

No mês de abril chega às concessionárias da Porshe no Brasil a segunda geração do Cayman. Conforme a marca alemã já havia adiantado em novembro de 2012, o modelo ficou mais leve e ganhou motores mais potentes. A versão básica do esportivo custa R$ 319.000, enquanto o Cayman S, versão mais “nervosa”, chega por R$ 399.000.

Com 30 kg a menos que a primeira geração, conforme divulgou a Porsche, o novo cupê vem equipado com motor 2.7 de 6 cilindros opostos que produz 275 cv. Segundo a marca, com este propulsor o cupê acelera de 0 a 100 km/h em 5,4 segundos e alcança 266 km/h.

Para quem quer mais emoção, a Porsche oferece o Cayman S, com motor 3.4 que gera 325 cv. A aceleração de 0 a 100 km/h pode ser feita em 4,7 segundos e ele chega a velocidade máxima de 283 km/h.

O cupê ganhou visual mais moderno com linhas suavisadas no para-choque e o caimento mais acentuado do teto até a traseira, detalhe que lembra a versão mais recente do superesportivo 911. Visto de frente, destacam-se as entradas de ar, que aumentam de tamanho na direção das laterais do carro. A tampa traseira rebaixada feita de alumínio e a seção traseira com bordas envolventes também são exclusivas desta nova safra. A lâmina do spoiler traseiro foi montada diretamente na tampa traseira, o que a deixou mais elevada se comparada à do Boxster, que tem a mesma plataforma e mecânica. Aliás, todo o conjunto visual do novo Cayman distanciou-se do seu “irmão” conversível.

Entre os equipamentos presentes em todas as versões estão ar condicionado com duas áreas, faróis dianteiros bi-xenon com sistema de iluminação dinâmica, sensores de estacionamento traseiros (no Cayman S, também dianteiros) e sistema com tecnologia bluetooth. Ambos modelos ainda tem como opcional o “Pacote Brasil” que adiciona transmissão PDK (Porsche Doppelkupplungsgetriebe) de sete marchas com borboletas no volante e rodas 19 polegadas no Cayman e 20 polegadas no Cayman S





Chevrolet lança o novo Prisma, a versão sedã do Onix

27 02 2013

prisma-materia2
Compacto terá preços na faixa de R$ 35 mil e R$ 45 mil.

A Chevrolet lança nesta terça-feira (26) a versão sedã do Onix, que será batizada de Prisma — o carro que tinha esse nome parou de ser fabricado. O “novo Prisma” tenta repetir o sucesso inicial do hatch, que foi lançado em outubro e que fechou janeiro como o quinto automóvel mais vendido. Ambos são feitos na fábrica de Gravataí (RS), onde a montadora anunciou, em janeiro, a criação de um terceiro turno, para aumentar a produção. O preço oficial será divulgado apenas nesta quarta-feira (27), mas a montadora afirma que a faixa é entre R$ 35 mil e R$ 45 mil.

O hatch será oferecido em duas versões de acabamento, LT e LTZ, ambas trazem de série sensor de estacionamento, direção hidráulica, ABS/EBD e airbag frontal. O modelo pode ser equipado com motores 1.0 (80 cv a etanol e 78 cv a gasolina) e 1.4 (106 cv a etanol e 98 cv a gasolina). A transmissão manual de cinco velocidades é uma F17 geração 1.5 – a mesma empregada nos modelos Onix e Cobalt.

O torque máximo, com etanol, da versão 1.0 é de 9,8 kgfm a partir de 5.200 rpm, e 9,5 kgfm quando alimentado a gasolina, na mesma faixa de rotação. A velocidade de 0 a 100km/h é atingida em 13s (etanol) e 12,7s (gasolina). Já a opção 1.4 tem torque máximo, com etanol, de 13,9 kgfm a partir de 4800 rpm e 13,0 kgfm quando alimentado com gasolina. Abastecido com etanol, Prisma vai de 0 a 100 km/h em 10,7s (etanol) e 12s (gasolina). Tanto na versão 1.0 quanto na 1.4, a velocidade máxima é de 180 km/h.

70 mil estações de rádio e mapa de lazer
Entre as novidades para o modelo, a GM destaca o avanço do sistema multimídia MyLink, que traz novos aplicativos como o TuneIn e e BringGo. Com o primeiro, é possível que usuários sintonizem mais de 70 mil estações de rádio em todo o mundo via Internet. O aplicativo permite a pesquisa das estações por nome, localidade, idioma, país, estilo musical ou categoria (música, esporte, noticias, etc.).

Já o BringGo fornece ao motorista um sistema de navegação completo que além de mapas 3D apresenta atualização do trânsito em tempo real. O aplicativo também inclui pontos de interesse, como, por exemplo, restaurantes, hotéis, postos de gasolina, entre outros.

Os usuários que desejarem utilizar os aplicativos precisam fazer o download do aplicativo em um smartphone compatível com o MyLink, através de lojas como App Store e Google Play. O MyLink faz uso de uma tela LCD touch screen de sete polegadas. Por meio do sistema, é possível controlar algumas configurações funcionais do carro, como avisos sonoros de faróis ligados, acionamento do limpador traseiro, travamento automático das portas, entre outros.

Outra comodidade viabilizada pelo sistema está na possibilidade de o usuário distribuir o som ambiente do rádio de forma independente em cada uma das caixas de som das quatro portas, além da importação de informações tradicionais do celular como, agenda de contatos e histórico de chamadas. À parte de todas estas funcionalidades, o sistema executa funções tradicionais de rádio AM/FM com leitor de áudio para arquivos MP3/WMA.

Vendas altas
A General Motors tentou guardar segredo sobre o carro e, no começo deste mês, divulgou uma foto estilizada. “O desafio era dar personalidade ao produto com traços tradicionais de um sedã alinhados a cortes esportivos e joviais. É o que podemos chamar de um Sport Sedan”, explicou Carlos Barba, diretor de design da GM América do Sul.

Desenvolvido a partir da mesma arquitetura de modelos como Sonic, Cobalt, Spin e Onix, o Chevrolet Prisma 2013 tem as características fundamentais do DNA global da GM. O novo sedã compartilhando algumas dimensões do Chevrolet Onix como entre-eixos (2,52 m) e largura (1,7 m), porém é pouco mais de 30 centímetros mais comprido, com 4,27 m. O porta-malas comporta generosos 500 litros de capacidade.

“O lançamento do Chevrolet Prisma 2013 consolida um dos mais importantes planos de investimentos dos 88 anos de história da GM no Brasil. Foram mais de R$ 5 bilhões empregados na renovação da linha de produtos e na ampliação e modernização de nossas fábricas. O Complexo Industrial de Gravataí é hoje o maior da América do Sul e o sucesso do Onix nos permite antecipar uma trajetória vitoriosa para o novo sedã compacto”, destaca o presidente da GM América do Sul e GM do Brasil, Jaime Ardila.

O Onix vendeu neste ano cerca de 16,8 mil unidades, considerando os números da primeira quinzena deste mês, divulgados pela Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave). Em 2012, de outubro em diante, foram 18.149. O antigo Prisma, já em fim de carreira, somou 34.932 emplacamentos no ano passado.

Fábrica de motores
O lançamento do novo Prisma acontece em Joinville onde, também nesta quarta (27), a GM inaugura uma fábrica de motores. Na época em que foi iniciada a construção, em 2011, a montadora afirmou que se tratava de um projeto de R$ 350 milhões com capacidade inicial de produção de 120 mil motores e 200 cabeçotes de alumínio por ano que serão destinados à fábricas de Gravataí e de Rosário, na Argentina.








%d blogueiros gostam disto: